Com sotaque gaúcho

Liliana Herrero, cantora argentina, e o acordeonista gaúcho Luiz Carlos Borges dividem o palco do Theatro São Pedro nesta quinta-feira a partir das 21h. Os dois são os convidados do projeto Canções aos Pares, que tem direção artística de Juarez Fonseca e se caracteriza pela reunião de artistas consagrados do Brasil e de outros países da América Latina. Os ingressos são gratuitos e podem ser retirados na bilheteria do teatro: das 13h às 18h30min (quando não há espetáculos noturnos) e das 13h às 21h (quando tem espetáculos à noite). O show tem o patrocínio da Eny Calçados, com financiamento do Sistema Pró-cultura/RS (LIC). A realização é da Cida Cultural.

A expectativa de Liliana é grande. “Compartilhar o palco com Luiz Carlos Borges é fundamental, porque significa experimentar a memória dos nossos povos do Sul do mundo e não esquecer o enorme e valioso tesouro que possuímos”, diz.  Borges também está muito animado. Ele afirma que “cantar com Liliana Herrero em Canções aos Pares significa conviver com o que se tem de melhor no cancioneiro argentino e fortalecer um pouco mais a integração no Sul”.

Liliana Herrero é considerada uma renovadora da estética do folclore argentino e Mercedes Sosa a apontou como sua sucessora. Ela entrou para a vida artística como cantora nos anos 60, estimulada por Fito Paez, produtor de seus dois primeiros discos, e se dedica a aprofundar o estudo das raízes folclóricas musicais de seu país, imprimindo um tratamento contemporâneo a essas tradições. Entre os prêmios que conquistou estão o Konex Platino 2005, como a melhor voz feminina da década de 1995 e 2005; e, em 2009, com Igual a mi Corazón, ganhou o Prêmio Gardel. Além disso, sua voz também está presente na trilha sonora de sucessos do cinema como XXY, de Lucia Puenzo; El Cielito, de Maria Victoria Menis; Hermanas, de Julia Solomonoff; Kamchatka, de Marcelo Piñeyro; e Vidas Privadas, de Fito Páez.

Luiz Carlos Borges é nome importante da música regional do Rio Grande do Sul. Além de acordeonista é cantor e compositor. Hoje sua discografia soma 33 discos, entre Cds e Lps. Formado em Música pela Universidade Federal de Santa Maria, ele iniciou sua carreira solo a partir do sucesso da composição Tropa de Osso, premiada na 9ª edição da Califórnia da Canção Nativa. Em 1983, criou o Festival Musicanto Sul-Americano de Nativismo. Durante sua trajetória já se apresentou em festivais nos Estados Unidos, América Latina e Europa como Alemanha, Áustria, Itália e Polônia.

No roteiro do show desta quinta-feira estão as composições: Mi hijo me ha pedido un chamamé (Luiz Carlos Borges); Misionera  (Luiz Carlos Borges – Mauro Ferreira); Encontro com a milonga (Luiz Carlos Borges); Oración del remanso (Jorge Fandermole); Zamba del arribeño  (Néstor Soria- Juan Falú); Laurel (Jorge Marziali – Juan Falú); e Yo vengo a ofrecer mi corazón (Fito Páez).

Anúncios

2 comentários em “Com sotaque gaúcho

  1. O Luiz Carlos Borges é sãoluizense Maria, meu conterrâneo, nascido lá nos Pampas, numa das cidades dos Sete Povos das Missões – sete aldeamentos indígenas fundados pelos Jesuítas espanhóis no Continente do Rio Grande de São Pedro, atual Rio Grande do Sul. Ele é bom no acordeon!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s