Por que algumas pessoas –  o ex-presidente Lula, por exemplo – são consideradas carismáticas? O que elas têm que as diferencia das outras? O psicólogo norte-americano Ronald Riggio, do Kravis Leadership Institut, buscou as respostas e desenvolveu o estudo que partiu de 90 perguntas, misturando três componentes – expressividade, controle e sensibilidade. Um dos resultados é a confirmação de que a expressão corporal nos revela o tempo todo. “Os gestos dizem mais do que mil palavras”, embora estas também desempenhem papel importante na aceitação que recebemos dos outros.

Mas como se define carisma? Riggio diz que é a combinação de duas facetas: a expressividade social, quando a pessoa tem capacidade de se adaptar rapidamente aos outros e às situações que encontra pelo caminho; e a expressividade emocional, quando ela possui talento para exprimir sentimentos – e partilhá-los com os demais. Os carismáticos iluminam os ambientes que frequentam, contagiam os outros com a sua energia positiva e não se entregam à raiva. O psicólogo acrescenta que eles dificilmente se perdem em rompantes de cólera, porque também possuem um fenomenal autocontrole.

Na base desse comportamento há uma virtude chamada sensibilidade. Na faceta social, ela permite que o carismático perceba imediatamente o clima que reina no ambiente e entre os grupos para se colocar em sintonia; na emocional, detecta logo os que não se sentem muito à vontade e se aproxima deles, dando-lhes a sensação de serem, naquele momento, as pessoas mais importantes da festa.

Mas nesse comportamento, os carismáticos se valem de alguns recursos físicos. Os sentimentos que transmitem precisam estar  em sintonia com a expressão corporal, que é constantemente avaliada pelos interlocutores, mesmo de forma inconsciente.  Não basta, por exemplo, carregar o dicionário na cabeça ou dominar vinte idiomas se a voz e a dicção não conseguem convencer o ouvinte. Mais: o olhar, a roupa, a posição dos ombros e a forma como movimentamos as mãos contribuem para acrescentar ou roubar carisma.

E atenção para este detalhe: ter o queixo saliente – quadrado e projetado para a frente – é uma grande vantagem no caso dos homens, porque essa característica atrai as mulheres e pode melhorar sua posição no mercado de trabalho, pois é interpretada como sinal de atitude positiva diante da vida. Então, quer ser carismático como o ator George Clooney? Na falta de um queixo como o dele, a cirurgia plástica pode dar um jeito.

Anúncios