Tags

, , , ,

Fachada da Livraria do Globo_Porto Alegre_Década de 1920É uma bela história. E quem a resgatou e a está levando ao público é a jornalista Paula Ramos, através da exposição Artistas Ilustradores – a modernidade impressa nas publicações da antiga Editora Globo, que, diga-se de passagem, nada tem a ver com as Organizações Globo, de Irineu Marinho. A Globo dessa mostra nasceu na Rua da Praia, em Porto Alegre. Ali começou singela, como papelaria, em 1883, mas não se acomodou. Pelo contrário. Cresceu e venceu fronteiras, ganhando importância no cenário literário nacional, em que foi a pioneira na tradução de autores estrangeiros para o português – Thomas Mann, Virgínia Woolf, Aldous Huxley, Somerset  Maugham e William Faulkner entre eles. Paralelamente, revelou os autores gaúchos Érico Veríssimo, Mario Quintana, Augusto Meyer, Moyses Vellinho e Dyonelio Machado.

Ilustrações para As Aventuras do Avião Vermelho_João Fahrion_1936 Ilustração para Lendas do Sul_01_Nelson Boeira Faedrich_1953Mas o foco da pesquisa realizada por Paula Ramos, no Programa de Pós Graduação em Artes Visuais na UFRGS, foi o surgimento de uma visualidade moderna e, para isso, analisou a obra gráfica de ilustradores da Editora Globo na primeira metade do século XX. Ao longo desses 50 anos, os ilustradores João Fahrion (1898-1970), Edgar Koetz (1914-1969), Nelson Boeira Faedrich (1912-1994) e Sotero (1901-1978) publicavam suas criações na seção Desenho, que tinha a supervisão do alemão Ernest Zeugner (1895-1967).

A exposição Artistas Ilustradores – a modernidade impressa nas publicações da antiga Editora Globo está aberta no Centro Cultural Érico Veríssimo, na Rua da Praia, desde o dia 12 de setembro (quinta-feira). O projeto foi desenvolvido com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Estado – lei 13.490, edital 02/2012. Terá uma segunda parte: no primeiro semestre de 2015 ele ganhará a forma de livro  – mesmo título – com o patrocínio da Petrobras.

Anúncios