Tags

, , , ,

 

Uma dor no pé, outra no cotovelo, mais uma no joelho. Azia. Mau humor. Melancolia. Insônia. O despertador manda sair da cama, mas a vontade de nada fazer manda ignorar a música. Nem o convite para um cafezinho anima. Coração batendo a mil. Ai que desânimo! Qual a causa? Boa pergunta. E sem resposta aparente, porque você continua respondendo às demandas no emprego, em casa, do companheiro, dos filhos e também dos amigos. Então? Pois é, tudo parece em harmonia, na santa paz. Mas não está.

Dr. Juarez Callegaro

Dr. Juarez Callegaro

Todos esses desconfortos são sinais de que algo está errado em nosso organismo. E não devemos subestimá-los. É o que ouço do médico ortomolecular Juarez Callegaro, autor do livro Mente Criativa – a aventura do cérebro bem nutrido. Como psiquiatra – o que também é -, ele dá a esse motor uma atenção que vai além da medicação. Por isso, em fevereiro de 2015, participou na Itália do curso de formação em Neuropsicofisio Patalogia Adattiva e Ottimazzione Neuropsicofísica em Tecnologia REAC. Em decorrência, trouxe uma novidade a Porto Alegre: é a REAC Terapia.

O que vem a ser essa terapia? É o tratamento aplicado através de máquina criada na Itália por uma equipe interdisciplinar que inclui especialistas de várias áreas da saúde. São professores de três institutos: Bolonha, Florença e Sassari. Eles se dedicaram a essa pesquisa ao longo de 30 anos e sua criatura – que estimula a formação de células-tronco no cérebro, ressalta Callegaro – já foi aprovada em artigo publicado na revista especializada Nature, principalmente pelos resultados “revolucionários” em relação ao mal de Parkinson.

A máquina criada na Itália

A máquina criada na Itália

Mas REAC é uma sigla. Significa Radio Electric Conveyer Assimetric. O que promete é muito importante: reequilibrar o cérebro e, em consequência, as funções do corpo. “Sua função é melhorar as frequências cerebrais, que comandam a saúde de todo o organismo, inclusive o funcionamento da mente”, explica Callegaro. Ele ressalta que um dos benefícios decorrentes dessa terapia é “o aumento da longevidade”, pois destrói as substâncias tóxicas que se acumulam no organismo.

Melhorando o uso das conexões no cérebro, o REAC combate o estresse e a depressão; diminui a agressividade, o pânico, os pensamentos obsessivos, os sintomas do mal de Parkinson, a hiperatividade e a dependência de medicamentos e drogas. A partir do tratamento, a pessoa passa a realizar as mesmas tarefas com menor gasto de energia mental, afirma Juarez Callegaro.

Carlo Ventura, professor de Biologia Molecular e um dos pesquisadores envolvidos na criação do aparelho, explica que “a tecnologia REAC foi concebida fundamentalmente para desenvolver funções bio e neuro através da modulação/otimização”. É uma nova visão e uma nova estratégia em relação aos aspectos da doença não possíveis de serem combatidos com medicamentos ou outros meios. Juarez Callegaro acrescenta a isso que a Terapia REAC faz com que o sistema nervoso central reconheça os desequilíbrios que se acumularam ao longo do tempo e os corrija, promovendo seu reequilíbrio.

Como funciona

O REAC – Radio Electric Conveyer Assimetric – transporta informações neurobiológicas através de correntes de baixíssima intensidade. Cada uma das aplicações – ciclos de 18 – é absolutamente indolor e muito rápida. São segundos. Tempo suficiente para que o equipamento leia a situação neurobiológica – todos os defeitos resultantes de traumas – da pessoa em tratamento. Todo o processo é parecido com o da ressonância magnética.

Sua aplicação não tem limite de idade, máxima ou mínima. Além disso, o espectro de abrangência é muito amplo, incluindo ansiedade, transtorno bipolar, TOC, fobias e vício em drogas. É a tecnologia mais uma vez a serviço da humana esperança.

 

20150819-juarez-callegaro-300x225A palavra de Juarez Callegaro sobre o REAC

A sigla REAC é uma nova tecnologia de otimização dos códigos de frequência do cérebro e do DNA, permitindo tratar, prevenir e até aperfeiçoar o funcionamento mental e fisiológico.

A sigla REAC é a abreviação de Radio Eletric Asymmetric Conveyer Technology, instrumento criado após cerca trinta anos de pesquisa por uma equipe liderada pelo Dr. Rinaldi Fontani (ver Instituto Rinaldi Fontani ou http://www.irf.it). Este aparelho, com sua imensa lista de benefícios, foi aprovado pela Anvisa. Entre os benefícios, inclui-se o tratamento da Depressão, Mal de Alzheimer e Mal de Parkinson, através da regeneração do cérebro. Além disso, esta inovadora e revolucionária tecnologia foi objeto de publicação elogiosa por parte da prestigiada revista Nature, a maior referência em termos científicos da área médica.

A aplicação é indolor

A aplicação é indolor

Sua aplicação é rápida, indolor (não invasiva), feita através de uma caneta conectada a um pequeno computador, a qual detecta sinais eletromagnéticos do cérebro e emite sinais para o mesmo depois que passa pelo computador. Este diagnostica e trata, emitindo sinais otimizadores para o cérebro. Por exemplo: estudos de neuroimagem demonstram que o cérebro passa a exercer as mesmas atividades com menor gasto de energia e menor estresse. Escalas de avaliação de depressão demonstram melhora significativa, inclusive da depressão bipolar.

Em resumo, o REAC, como já se afirmou acima, trata e previne doenças graves em todas as idades, desde a fase pré-concepcional e durante a gestação, mas também tratando o recém-nascido, a criança, o adolescente, adultos e idosos. Em pessoas normais, aumenta a eficiência mental, tanto que é utilizado pela Força Aérea Italiana. Isso significa que executivos podem usá-lo como um bom investimento para aumentar a produtividade, definida como “fazer a mesma tarefa com menor custo em épocas de crise” e “mais tarefas com o mesmo custo em épocas normais”.

Além de otimizar a qualidade de vida cognitiva, afetiva e psicomotora, o REAC promove o acréscimo de vida por aumentar o chamado “telômero”, molécula que mede a longevidade biológica. No que diz respeito à qualidade cognitivo-afetiva, aumenta o NGF, molécula da resiliência, melhorando o poder de solução dos problemas emocionais e o poder de resistência ao estresse psicossocial, diminuindo, assim, o risco de adoecer, envelhecer e morrer antes do tempo.

Como existe sinergismo entre os códigos de frequência do cérebro e os códigos de linha química para produzir códigos tridimensionais de regeneração neuroplástica, nossa experiência com centenas de casos graves em todas as idades mostra a aceleração dos resultados do REAC com a utilização de nutrientes, principalmente “smart nutrients” que otimizam estes resultados e amplificam a inteligência emocional no contexto de recursos ortossistêmicos. Em se tratando destes recursos, ver o site http://www.ortosistemica.com.br.

Maiores informações poderão ser obtidas através dos telefones (51) 33791039 e (51) 33791084, com o Dr. Juarez Callegaro, que participou de curso sobre o REAC no Instituto Rinaldi Fontani em Florença, Itália.

Anúncios